No início dos anos 2010, a computação em nuvem estava apenas começando a ganhar impulso, porque pequenas e grandes organizações descobriram as vantagens do poder da computação sob demanda – particularmente a capacidade de aumentar ou diminuir a escala para atender aos requisitos de negócios em constante mudança. No início, o custo foi um grande fator na mudança para a nuvem, pois forneceu uma maneira econômica de armazenar grandes conjuntos de dados.

Agora que o armazenamento na nuvem é onipresente e o volume de informações digitais aumentou de terabytes para petabytes e zetabytes, os dados se tornaram o ativo mais valioso de toda empresa. Hoje, o foco passou do uso da nuvem para obter economias de escala para extrair insights do volume de dados que pode fortalecer a inovação e criar vantagem competitiva.

Mas, para realmente aproveitar o poder dos dados durante a próxima década, esses dados relevantes precisarão fluir livremente, com segurança e de maneira estruturada nas organizações e externamente para e de parceiros confiáveis. Estamos apenas começando a ver as etapas para tornar isso possível, com o estabelecimento de novos padrões e iniciativas de interoperabilidade em vários setores, além da ascensão da tecnologia para gerar transparência de dados, como o blockchain.

As principais tendências tecnológicas em 2020

O calendário tecnológico do século XXI terá um ano-chave: 2020. A Gartner, previu para os próximos meses a chegada de alguns dos progressos em inovação mais esperados da última década, conforme seu relatório Top 10 Strategic Technology Trends for 2020.

A seguir, apresentamos as dez principais tendências da tecnologia a nível estratégico em 2020:

Hiperautomatização

As tecnologias emergentes, como: Inteligência artificial, RPA e Machine Learning, combinadas com todas as etapas da automação: descobrir, analisar, projetar, automatizar, medir, monitorar e reavaliar, é um dos principais focos da hiperautomação. Ou seja, é necessário compreender a variedade de mecanismos de automação, como eles se relacionam e como podem ser combinados e coordenados.

Multiexperiência

A realidade virtual (VR), a realidade aumentada (AR) e a realidade mista (MR) estão transformando a nossa forma de perceber o mundo digital e interagir com ele. Esta mudança nos aproxima de um futuro com aplicações que oferecerão ao usuário experiências múltiplas.

Democratização da prática tecnológica

A democratização está focada em fornecer às pessoas acesso a conhecimentos técnicos. Até 2023, a Gartner espera que quatro áreas principais da tendência se acelerem: dados e análise, desenvolvimento, design e conhecimento.

Aperfeiçoamento humano

As tendências da tecnologia também contemplam o uso da inovação para melhorar as nossas capacidades físicas e cognitivas, possibilitando um maior acesso à informação. Os wearables já são uma realidade e sucesso.

Transparência e rastreabilidade

Os consumidores estão cada vez mais conscientes de que suas informações pessoais são valiosas e exigem controle. As organizações reconhecem o risco crescente de proteger e gerenciar dados pessoais, e os governos estão implementando legislação rigorosa para garantir isso. Transparência e rastreabilidade são elementos críticos para apoiar essas necessidades de ética e privacidade digitais.

Edge computing

Este ramo da computação terá um grande impacto na Internet das Coisas (IoT) ao possibilitar que os dados gerados pelos dispositivos sejam processados de forma local, sem a necessidade de transferi-los à nuvem ou enviá-los a um centro de dados externo.

 Nuvens híbridas

Veremos a descentralização da maioria dos serviços cloud. Porém, o provedor de nuvem pública em origem manterá a responsabilidade do funcionamento, controle, atualizações e evolução dos serviços.

Objetos autônomos

Objetos autônomos vão além da automação fornecida por modelos rígidos de programação, eles exploram a IA para oferecer comportamentos avançados que interagem mais naturalmente com o ambiente e as pessoas. À medida que a capacidade tecnológica melhora, a regulamentação permite e a aceitação social cresce, objetos autônomos serão cada vez mais implantadas em espaços públicos não controlados.

Blockchain

O Blockchain se destaca por sua capacidade para realizar operações seguras e sem intermediários na Internet, como os contratos inteligentes (smart contracts) que podem desencadear ações; por exemplo, o pagamento é liberado quando as mercadorias são recebidas.

Inteligência Artificial (IA) e cibersegurança

A popularização da IA e machine learning trarão novos desafios para a cibersegurança, pois aumentarão consideravelmente as vulnerabilidades dos sistemas. Os líderes de segurança e risco devem se concentrar em três áreas principais – proteger os sistemas de inteligência artificial, alavancar a inteligência artificial para aprimorar a defesa de segurança e antecipar malware que utilizam inteligência artificial.

O que a sua empresa está fazendo para se beneficiar dessa tendência? Como o mercado de dados impactará a maneira como ela se relaciona com clientes, fornecedores e parceiros? Compartilhe este post nas redes sociais e continue acompanhando os conteúdos aqui do blog para se manter informado sobre o tema!

Fonte: Gartner