De uma maneira ou de outra, as empresas em transformação digital já conhecem minimamente o poder das plataformas e dos métodos de Business Intelligence. O que pouco se discute no mundo corporativo é a aliança entre a análise de dados e a Inteligência Artificial (IA).

Esse cenário está mudando, pois, cada vez mais, esses dois pilares da inovação tecnológica têm se fundido para elevar o poder analítico dos negócios a um patamar ainda maior — é o que apontam especialistas em todo o mundo.

Neste artigo, nos propomos a desmistificar esse tema. Continue lendo para entender por que a união desses dois conceitos tecnológicos pode ajudar a reinventar a gestão do seu negócio.

O que é e como funciona o Business Intelligence?

De acordo com o glossário de TI da Gartner, o termo Business Intelligence (BI) refere-se às tecnologias, aos aplicativos e às práticas para a coleta, integração, análise e apresentação de informações comerciais. O objetivo do BI é apoiar as tomadas de decisões de negócios.

Essencialmente, os sistemas de Business Intelligence dão suporte à decisão em uma gestão orientada por dados — usados de forma intercambiável com ferramentas de relatório e consulta e sistemas de informações executivas.

Em outras palavras, as plataformas de Business Intelligence fornecem visualizações históricas, atuais e preditivas sobre as operações de negócios, na maioria das vezes, usando informações que foram reunidas em um data warehouse ou em fontes externas. Os elementos de software suportam relatórios, análises de tabelas dinâmicas interativas e mineração de dados estatísticos.

Dessa forma, é correto afirmar que empresas que possuem uma boa estratégia de Business Intelligence (tecnologia + métodos de gestão voltados para a inteligência competitiva) obtêm as seguintes vantagens:

  • gestão mais estratégica e menos “intuitiva”, uma vez que projetos e planos de ação são orientados por dados coletados, processados e analisados em tempo real;
  • eficiência competitiva, com respostas rápidas às indagações executivas nos mais variados âmbitos (comercial, marketing, operações etc.);
  • conhecimento mais aprofundado sobre clientes, parceiros de negócio e concorrência;
  • identificação rápida e certeira de riscos, ameaças, oportunidades de negócio etc.

O que é e como funciona a Inteligência Artificial?

O conceito de Inteligência Artificial é um pouco mais amplo e, por vezes, difícil de explicar. Ele envolve o aprendizado de máquinas e outros recursos programáveis ​​que fazem com que equipamentos, sistemas operacionais e demais infraestruturas de TI atuem simulando e potencializando capacidades humanas.

Em geral, é importante saber que a Inteligência Artificial possibilita que as máquinas aprendam com a experiência, ajustem-se às novas entradas e realizem tarefas como se fossem pessoas — ainda que possam fazer com mais precisão, mais rapidamente e de maneira mais eficaz.

A maioria dos exemplos de IA sobre os quais ouvimos falar hoje — dos computadores que jogam xadrez aos carros autônomos — depende muito do aprendizado profundo e do processamento da linguagem natural. Usando essas tecnologias, as máquinas podem ser treinadas para realizar tarefas específicas, processando grandes quantidades de dados e reconhecendo padrões.

Vamos a um exemplo prático: recentemente, a consultoria Deloitte fez um experimento muito interessante na Holanda. Ela promoveu uma espécie de “batalha” entre três técnicos em gestão de impostos e um “bot” — um computador programado para simular ações humanas e operar sistemas de maneira automatizada.

O que a Deloitte queria saber é se os profissionais seriam mais ágeis que a máquina para gerar o maior número possível de faturas. Para isso, eles tinham que realizar cerca de quarenta tarefas de processamento manual, conciliando dados de diferentes fontes para criar e enviar faturas.

O resultado? Em uma hora, o robô produziu 192 faturas e os três especialistas só realizaram 129, o que demonstrou o poder produtivo da Inteligência Artificial em um caso bastante prático.

Em linhas gerais, podemos afirmar que, aplicada aos negócios, a Inteligência Artificial pode proporcionar os seguintes benefícios:

  • automatizar tarefas repetitivas para potencializar a produtividade e reduzir erros;
  • adicionar inteligência aos produtos e serviços já existentes e abrir caminho para a criação de novas ofertas;
  • analisar dados mais profundos usando redes neurais que possuem muitas camadas ocultas, por exemplo, em transações financeiras;
  • explorar dados de uma maneira mais proveitosa, tornando-os propriedade intelectual por meio de algoritmos de autoaprendizagem, por exemplo, em uma planta industrial.

Como Business Intelligence e Inteligência Artificial estão relacionadas?

Para pensarmos sobre o alinhamento de soluções e métodos de Business Intelligence e Inteligência Artificial, vamos recorrer a um exemplo fictício. Imagine que a sua estratégia comercial seja ampliar as vendas por meio do comércio online, mas que a concorrência na área já esteja acirrada.

Por meio do aprendizado de máquina, uma categoria de algoritmo permite que aplicativos de software se tornem mais precisos na previsão de resultados sem que sejam explicitamente programados, melhorando a experiência dos consumidores.

Usando aplicativos com Inteligência Artificial pode-se, por exemplo, fazer recomendações precisas quando um potencial cliente começa a digitar no campo de busca da loja virtual.

Ao mesmo tempo, a análise de dados integrada a essa aplicação pode fornecer insights ao time de marketing digital — que vai produzir ações mais assertivas para alcançar o público-alvo no ambiente virtual e facilitar a mensuração de resultados.

Seguindo com esse mesmo objetivo, é também perfeitamente viável automatizar o merchandising com base em uma compreensão preditiva dos consumidores. Combinando análise de dados e IA, a plataforma de e-commerce consegue determinar quais itens podem agradar a um perfil específico de cliente a partir das pesquisas online e fornecer opções de venda de produtos complementares, por exemplo.

Além das ações práticas descritas até aqui, a combinação de geração de insight e Inteligência Artificial também pode potencializar tarefas preditivas, como determinar o que os clientes querem com base nas informações fornecidas. Tudo isso de maneira automatizada, com o mínimo de intervenção humana.

Como você viu, são muitas as possibilidades de combinação das soluções de BI e IA no universo corporativo. O maior desafio para as organizações é estruturar estratégias e decidir quais equipamentos e ferramentas serão aplicadas aos objetivos de negócio — e isso pode ser feito com a ajuda adequada. Sendo assim, o mais importante é contar com o auxílio de consultorias especializadas que lhe auxiliem no desenho de sua solução.

O que achou da ideia de alinhar Inteligência Artificial e Business Intelligence? Já consegue vislumbrar um projeto assim na sua empresa? Para receber mais artigos como este diretamente no seu e-mail, assine agora mesmo a nossa newsletter!